Na última quinta-feira um amigo me perguntou: “Desde quando você gosta de ler?”

Recorri a minha memória e descobri que não tinha uma marca de quando começou meu interesse por livros. Então respondi: “Desde sempre”. Como sexagenária, sou do tempo quando não havia ainda os veículos de comunicação que existem hoje. Além do mais, meus pais eram sem recursos financeiros e não tínhamos acesso nem aos meios possíveis da época: como TV, jornal, maquina de datilografia e telefone. Só tínhamos o rádio. E por meio deste eu descobri, muito pequena ainda, que existiam livros. E tinha um desejo desesperador para lê-los.

Aos nove anos pedi ao meu pai que me comprasse uma série de livros: Heróis Cristãos, que contava as histórias de homens e mulheres desbravadores motivados a espalhar pelo mundo, o amor e os princípios da fé crista. Os livros vieram pelo correio e demoraram quase dois meses, desde o meu pedido, via carta, até o dia em que meu pai pode ir buscá-los no correio, da cidade mais próxima – Padre Nóbrega. E me deliciei lendo e relendo os doze volumes.

A vida foi generosa para comigo. O pastor da comunidade religiosa que freqüentávamos viu o meu interesse em estudar e propôs para meu pai uma troca – eu moraria na casa dele, ajudaria com os quatro filhos e os serviços caseiros e em troca eu estudaria e eles cuidariam de mim. E assim foi que deixei os serviços da plantação de eucaliptos, juntei os poucos pertences que tinha e fui morar na cidade.

A casa não era muito grande. Tinha sala, copa, cozinha grande, escritório e dois quartos. Um dos quartos era ocupado elo casal, o outro pelas crianças. Então sobrou o escritório, onde numa caminha de armar eu dormia.

O maravilhoso é que neste escritório estava a biblioteca imensa do pastor. Que guardava desde seleções e revistas, até o livro por mais simples que fosse. Todas as noites, depois de chegar do colégio, por mais cansada que estivesse eu gastava algum tempo lendo algum livro. Como adolescente meu primeiro interesse foi sobre sexo. E li tudo que tinha disponível. Logo me interessei por psicologia e havia na biblioteca muita coisa sobre Freud e a psicanálise. Li tudo também. Chegou a vez da auto-ajuda: Li Dale Carnegie. Bem depois deste, fui lendo outros. Alguns com muito interesse, outros nem tanto.

Então, eu não sei quando começou meu interesse por leitura, mas sei que “dormir com os livros” com certeza despertou e cristalizou em mim o interesse que já tinha pela leitura.

Abraço.

14/12/2009

Anúncios