Onze de julho de dois mil e onze. Quarenta e um anos de casamento. Segunda-feira. Resolvemos almoçar em algum restaurante charmoso da Vila Mariana. Comecei a procurar e nada. Todos os que gostaríamos de ir, estavam fechados, por ser segunda-feira. Tive uma idéia e compartilhei com o Eliel; “Que tal você buscar um salmão pronto, eu faço um arroz especial e almoçamos aqui”? Ele topou. Misturei arroz vermelho, arroz integral, grãos de cevadinha e grãos de trigo. E não é que ficou um arroz com uma coloração que despertava mais ainda, o apetite! Era um tom marrom puxado para a cor de tomate seco. Bom de ver e saborear com os olhos. Salada de tomate e azeitonas pretas. Arrumei a mesa com capricho e abrimos uma garrafa de vinho, tinto português safra 2007, que é o que mais gosto.

Saboreamos com muito gosto o arroz quentinho com o peixe e a salada, intercalando com uma taça do delicioso vinho. Nada melhor! E muito, mas muito mais barato do que qualquer restaurante.

De sobremesa, convidamos a Cassia e o Rafael, que estavam em São Paulo, para nos acompanhar no café e uma fatia de bolo na casa de bolos Sensação da rua Rodrigues Alves. Companhia deliciosa a deles.

Voltamos para casa felizes e contentes com o nosso dia!

Anúncios