MAIS UM NIVER DE CASAMENTO

Quarenta e dois anos se passaram desde aquele dia chuvoso durante o dia e sem luz a noite…Nos olhares de hoje éramos jovens demais, mas resolvemos juntar nossas vidas. Eu muito rebelde: sem aliança, sem pai levando no altar, sem compromisso de ficar junto a vida toda. Ele paciente e sempre amoroso! Mais uma coisa combinamos: seriamos honestos e verdadeiros para com o outro, sempre.
O que era amizade, virou desejo de ficar junto. O que era “até quando der” virou compromisso, de fidelidade, renovado a cada manhã.
Nem sempre “sinto” amor. As vezes sinto mesmo é desencanto. Descobri que a recíproca também é verdadeira. Mas é a vida de quem vive juntos e não tem a intenção de esconder os verdadeiros sentimentos. Mas o sentir vontade de distanciar, não tira do meu coração o desejo de fazer valer o compromisso de permanecer, de cuidar bem, de ser carinhosa e de continuar fiel e honesta.
Hoje nos dividimos muito: com as pessoas que atendo, com a Comunidade (religiosa), com alguns amigos, com os filhos, e principalmente com os netos. Mas nestas convivências mantemos o desejo de voltar e ficar a sós, sem ninguém por perto. Nossa casa é muito aberta, como aberto ficou nosso coração. Mas curtimos cada momento onde a casa e o tempo é todo nosso!

Como aconteceu?

É uma caminhada:
Ficamos cansados
As vezes machucados
Subimos morros,
Ultrapassamos barreiras
Caminhamos na beira de abismos;
Ferimos os pés,
Choramos. Sangramos!
Foi preciso esperar!
Bichos e feras urraram
Tivemos medo
E ficamos mais pertinho,
Um do outro.
Um caiu de cansado,
O outro deu a mão.
Um encolheu a mão,
O outro ficou por perto,
Atravessamos rios,
Fomos tragados
Pela correnteza.
A corda foi lançada,
Agarramos.
Um barco chegou.
Novamente em segurança.
Andamos a margem,
Contemplando cada florzinha.
Fomos marcados,
Um pelo o outro.
E estamos misturados.
Não dá para separar
Sem levar em si o outro.
Caminhamos ainda
Para o topo da montanha.
JUNTOS!

Anúncios