De Paulo de Tarso a Klester Cavalcanti

Acabei de ler o livro “Dias de Inferno na Síria”, onde o autor, Klester Cavalcanti, conta sobre sua viagem a Síria com a intenção de ver de perto e relatar a guerra entre o Exercíto que apóia o governo do presidente Bashar al-Assad e o Exercito livre da Síria formado por civis e militares que são contrários ao governo.

Enquanto lia todas as atrocidades cometidas contra a população indefesa (calcula-se que mais de 20.000 pessoas foram executadas no período de um ano e mais de um milhão estão refugiados) e contra os estrangeiros que tentam chegar para contar ao mundo o que acontece, fui sendo tocada de modo especial pelo que acontece naquela região desde sempre.

Lembrei de Paulo de Tarso, que no ano 31 d.C. também viajou rumo a Damasco com a intenção de aprisionar e levar para Jerusalém, todos os cristãos que encontrasse em Damasco.
Paulo teve uma experiência tão marcante, quando se aproximava de Damasco, que não teve outra alternativa, a não ser, reconhecer que Cristo Jesus lhe aparecera se revelando como Senhor e Redentor. Paulo, que perdera a visão é levado para Damasco onde recebe a visita de Ananias. Paulo recupera a visão depois da oração de Ananias, é batizado como cristão, come e recupera as forças. E sua vida muda radicalmente. Ele deixou de prender e de consentir que pessoas fossem assassinadas por causa da fé que professavam.

Klester fica preso em Homs. Experimenta na própria pele o tratamento desumano que é dispensado na prisão. Alimenta-se pouco da lavagem disponível para alimentação da sua cela.Não se banha e também perde o vigor físico. Milagrosamente é liberto, volta para Damasco e lá volta a se alimentar com dignidade e recupera o animo e as forças físicas. Com certeza sua vida nunca mais será a mesma!

Que lugar é este, onde parece que o Todo Poderoso se manifesta de uma forma tão viva, ao mesmo tempo, que tantas vidas são sacrificadas inocentemente?

Que lugar é este onde Paulo de Tarso é visitado pela Força que transcende e Klester é cercado e servido por anjos enquanto preso, e tantos outros morrem injustamente?

Não sei. Não entendo. Quem sabe um dia a eternidade me revelará!!!

Anúncios