“Ei, senhor!” Meu marido, que tem cabelos totalmente brancos, ouviu alguém chamar, enquanto caminhava pela rua em direção a nossa casa depois de algumas compras, e olhou para trás. Era um jovem, aparentando ter entre 20 e trinta anos, vestindo-se com roupas soltas e descontraídas e que carregava, dentro de uma capa,um instrumento musical- pelo jeito um violão. Tinha uma apar~encia um pouco descuidada e demonstrava tristeza e desânimo no olhar. Meu marido, parou olhou para o jovem que disse:

“Desculpe-me. Mas quando vi seus cabelos brancos lembrei do meu avô. Ele era amoroso comigo e sempre me dava bons conselhos. Será que o senhor tem algum bom conselho para me dar?” Meu marido ficou surpreso e comovido ao ouvir esta fala. Pensou um pouco e respondeu:

“Você pode!”

“Eu posso!” Ele respondeu. E continuou:

“Eu precisava ouvir isto. Eu precisava ser lembrado de que posso.”

“Sim!” Foi a resposta do meu marido que continuou:

“Todos somos criados a imagem e semelhança de Deus. Não precisamos viver nas sombras. Podemos andar pela luz.”

Os olhos do rapaz se encheram de lágrimas. Mas eram de alegria. Ele sorriu e continuou seu caminho entrando pelo acesso ao metrô. E meu marido voltou para casa, também, suprêso e extasiado pelo mistério do ocorrido!

Anúncios