Tem que saber calar…

Ontem, quando voltamos para São Paulo, sábado a noite, pegamos um congestionamento antes do túnel do Anhangabaú. Como carro nenhum saia do lugar, eu e meu marido resolvemos ouvir músicas e ligamos o rádio na Nova Brasil. E olha a preciosidade que descobrimos. De ontem para cá, já ouvi meia dúzia de vezes. E, claro, lembrei, principalmente, das situações em que falei o indevido ou falei o certo na hora errada. Não pude deixar também de lembrar de pessoas tão queridas, que estão bem próximas a mim, e que não vacilam em ferir com palavras pontiagudas. E, claro, lembrei também daqueles que acham que tem que falar tudo que vem na cabeça. E lembre ainda daqueles que não conseguem silenciar. Ai vai, a canção me tocou tanto:

Rei da Palavra

Leandro Léo

Quantas palavras lindas e gordas
Vão se derramar em vão?
Sem que se saiba para o que servem
Ou para aonde vão
Para um brilhante colar de palavras
Que só faz pesar
Às vezes o rei da língua e da lábia
Tem que saber calarQuantas palavras fortes e doídas
Vão se debruçar sobre alguém
Reabrindo velhas feridas
Que já cicatrizavam bem
Cheias de vã certezas
De tanta coesão
Às vezes até o rei da razão
Tem que saber calar

Pra nao sair ferido esta é a condição
Saber ser mais ouvido é um dom
“Não, eu não disse isto”
Disse, e não tem volta
Às vezes até o rei da revolta
Tem que saber calar

Quantas palavras fortes e doídas
Vão se debruçar sobre alguém
Reabrindo velhas feridas
Que já cicatrizavam bem
Cheias de vã certezas
De tanta coesão
Às vezes até o rei da razão
Tem que saber calar

Pra não sair ferido esta é a condição
Saber ser mais ouvido é um dom
“Não, eu não disse isto”
Disse, e não tem volta
Às vezes até o rei da revolta
Tem que saber calar

Um líder frente à revolução
Tem que saber calar
Um Deus que assiste a evolução
Tem que saber calar
O verdadeiro rei da palavra
Valoriza o som
Fala como quem ja compreendeu
Que o silencio é bom

Anúncios