Como muitos já sabem, sou cristã e tenho uma veneração toda especial por Cristo Jesus. Eu creio mesmo que ele era Deus que se fez gente, nasceu bebê, cresceu, viveu e morreu. Mas não ficou no túmulo! Ressuscitou para renovar cada dia não só a esperança, mas também a certeza da continuidade da vida em nossos corações. Nesta Páscoa, quero lembrar que vejo muita semelhança no ocorrido na última semana de vida aqui na terra, de Cristo e o processo de crescimento humano. Diante da expectativa de sofrimento os discípulos, dormiram, fugiram e depois duvidaram da Vida que (re)surgiu do túmulo em que Ele ofertado por José de Arimatéia, onde Seu corpo morto fora colocado. Cristo venceu a morte saindo de dentro dos tecidos da mortalha que o envolvia. Mas antes do domingo de aleluia, foi preso, menosprezado, cuspido, furado e pregado. Foi colocado no túmulo deixando um vazio horroroso e sombrio no coração dos seus seguidores. Mas na madrugada de sábado para o domingo quebrou o ferrão da morte, que ficou aleijada para sempre. Vejo muitas semelhanças no movimento humano em direção ao crescimento. É possível que se tenha de passar por todas estas fases e momentos. Quem quiser vencer as partes amortecidas em si mesmo, precisa ter a disposição e coragem de enfrentar seu próprio calvário, para finalmente ver ressurgir a vida abundante para a qual Deus nos criou. Feliz Páscoa 2015.Como muitos já sabem, sou cristã e tenho uma veneração toda especial por Cristo Jesus. Eu creio mesmo, que Ele era Deus que se fez gente, nasceu bebê, cresceu, viveu e morreu. Mas não ficou no túmulo! Ressuscitou para renovar cada dia, não só a esperança, mas também a certeza da continuidade da vida em nossos corações.
Nesta Páscoa, quero lembrar que vejo muita semelhança no ocorrido na última semana de vida aqui na terra, de Cristo, e o processo de crescimento humano.
Diante da expectativa de sofrimento os discípulos, dormiram, fugiram e depois duvidaram da Vida que (re)surgiu do túmulo, ofertado por José de Arimatéia, onde Seu corpo morto fora colocado. Cristo venceu a morte saindo de dentro dos tecidos da mortalha que o envolvia. Mas antes do domingo de aleluia, foi preso, menosprezado, cuspido, furado e pregado. Foi colocado na tumba, deixando um vazio horroroso e sombrio no coração dos seus seguidores. Mas na madrugada de sábado Ele surgiu Vivo novamente quebrando o ferrão da morte, que ficou aleijada para sempre.
Vejo muitas semelhanças no movimento humano em direção ao crescimento. É possível que se tenha de passar por todas estas fases e momentos. Quem quiser reviver as partes amortecidas em si mesmo, precisa ter a disposição e coragem de enfrentar o calvário ao encarar de frente suas próprias mazelas. Assim há possibilidade de ver ressurgir a vida abundante para a qual Deus nos criou, aqui.
Que possamos desfrutar do NOVO que o domingo da ressurreição anuncia: A Vida triunfou!
Que tenhamos mais vida!
Feliz Páscoa 2015.
Anúncios