MINHA VIDA: Sexta década

2 Comentários

De 1997 a 2006

Década marcada por muitos ganhos e muitas perdas!

Casamento dos filhos. Experiência linda de vê-los sair para cuidar da própria vida. De receber como “filhos” nora e genro.

Construção da casa na montanha! Nunca pensei que um dia teria duas casas, por causa do trabalho que dá no cuidado e preservação.Tenho duas casas e bastante trabalho. Mas amo, as duas!

Nascimento dos três primeiros netos. Delícia pura! Prazer indefinível! Cansaço e alegria. Ao mesmo tempo!

Convite da Editora Vida, para escrever, e “nascem” os três primeiros livros: Ressurreição Interior; Raiva; seu bem, seu mal e Depressão: tem luz no fim do túnel!

foto-capa-tres-livros

Filho morando no exterior.

Tive muitos ganhos na vida e muitas perdas no meu corpo. Fui submetida a uma histerectomia (extração do útero e ovários) e algum tempo depois retirada da vesícula.  Experimentei fundo o vazio na alma, que a retirada de órgãos do corpo pode deixar. Lidei mais uma vez com a depressão e a tristeza de perder algo no e do corpo. Mas também descobri que o vazio do corpo pode alargar outros espaços. Principalmente o espaço dos relacionamentos.

Foi nesta década que elaborei todas as perdas que o envelhecer vai trazendo. Mas resolvi encarar cada passo do envelhecer. Fiz a despedida da força e da beleza da juventude. O que já fui ficou nas fotos. O que tenho está aqui e há muito o que fazer além dos atributos dos jovens. Decidi assumir as rugas; cada uma tem sua história. Assumi também as gordurinhas que a mudança do metabolismo vai trazendo, sem me entregar ao sedentarismo. Minha alimentação tem bem menos comida, mas com muito mais qualidade. O comer e beber perde muito da sua importância e outras prioridades entram no lugar. Tenho mais prazer em ver um filme do que gastar tempo no preparo ou na espera de uma alimentação.

Aproveitamos muito da nossa casa na montanha. Nesta casa tivemos encontros significativos: Grupos de Encontro psicoterapêuticos; grupos de amigos; grupos de casais e muitos ajuntamentos de família. Os natais com os netos ganharam forma e agora fazem parte da convivência familiar.

No último ano desta década fizemos a primeira longa viagem para a Europa. Trinta dias. De uma tacada só, Suécia, Estônia, França e Espanha. Cada país com seus detalhes e suas características.

Descobri que gosto de história. Fiquei impactada ao ver de perto quanta destruição que uma guerra faz. E muito impressionada com a capacidade que alguns países, como a Estônia tem em recomeçar do zero e refazer o que foi destruído.

Gosto de paisagens. Com montanhas, com gelo, com água, com pontes, com o pôr e o nascer do sol! Minhas fotos têm poucas pessoas e muita paisagem!

Anúncios

Praticando a Abordagem Centrada na Pessoa – Dúvidas e perguntas mais freqüentes

25 Comentários

Como a Abordagem Centrada na Pessoa trata as doenças mentais? É possível usar alguma técnica no atendimento em ACP? Existe a “alta”m segundo a ACP?
Perguntas como estas e muitas outras são feitas por profissionais em Psicologia que acabaram de se formar e ou depois de experimentar algumas orientações como psicoterapeutas, optam pela Abordagem Centrada na Pessoa. Muitos destes profissionais estão realmente cheios de dúvidas, medos e até angustiados na ânsia de desejarem acertar e fazerem o melhor.
Praticando a abordagem Centrada na Pessoa é um livro que surgiu da necessidade em atender profissionais, através da experiência prática de três psicólogos.
Neste livro você encontrará uma parte teórica, com a história de Carl Rogers, os princípios da Abordagem Centrada na Pessoa, suas aplicações e dimensões e, uma segunda parte, com as dúvidas e perguntas mais freqüentes que estes três profissionais ouvem no dia a dia.
A intenção não é oferecer uma receita pronta que se for seguida, dará certo. É apenas a opinião resultante dos anos já vividos e o ponto de vista adquirido pela experiência desses profissionais

Ressurreição Interior

Deixe um comentário

Editora: Editora Vida
Autor: ESTHER CARRENHO
ISBN: 8573677805
Origem: Nacional
Ano: 2003
Edição: 1
Número de páginas: 142
Acabamento: Brochura
Formato: Médio

Que esperança há para os que estão vivos, mas se sentem mortos por dentro, como se a vida não tivesse mais nenhum sentido?
Essa é grande questão que a psicoterapeuta Esther Carrenho trata nesta obra. Ela tem lidado diariamente com pessoas que sofreram desordens das mais diversas: fim de um casamento, violência física e emocional, depressão e auto-estima baixa. São pessoas que buscam solução para suas angústias, na expectativa de redescobrir como desfrutar intensamente a vida.
Resultado do estudo e análise de três ressurreições realizadas por Jesus, este livro concentra-se nas ações de cada pessoa ressuscitada e, em especial, nas palavras e na atuação de Jesus. Os leitores aprenderão que além de revivificar o corpo de cada pessoa, Jesus também deu um novo sentido à vida delas.
O milagre da vida continua a se repetir em toda a plenitude.Além da vida eterna, Deus também deseja nos dar vida plena e abundante. E tudo isso é oferecido Aqui e Agora.

RAIVA – Seu bem, seu mal

2 Comentários

Ficha Técnica:
ISBN: 85-7367-935
Páginas: 136
Formato: 14x21cm
Categoria: Psicologia / Autoconhecimento
Autor: Esther Carrenho

Qual a importância que você dá às suas emoções?
Você sabe reconhecer e expressar seus sentimentos?
Como você lida com a raiva?
É possível classificar os sentimentos em bons ou ruins?

Neste livro esclarecedor, Esther Carrenho convida os leitores a identificar vários sentimentos e fazer deles grandes aliados em prol de seu potencial criativo.

Focalizando especificamente a raiva, a autora se vale de sua experiência para autenticar conceitos fundamentais à saúde emocional. Você poderá encontrar respostas para seus questionamentos ao se identificar com outras pessoas que também buscam reconhecer e administrar seus sentimentos de raiva, em lugar de bloqueá-los e reprimi-los.

Com linguagem simples e acessível, este livro poderá ser muito útil a todos que desejam equilibrar emoção e razão de forma construtiva produzindo bem-estar tanto para si mesmos como para os que estão próximos.

DEPRESSÃO: tem luz no fim do túnel

1 Comentário

Depressão é uma tristeza que parece não ter mais fim.?
A psicóloga Esther Carrenho, diante das inúmeras pesquisas que apontam a depressão como um dos
distúrbios psiquiátricos mais freqüentes no Brasil e no mundo, apresenta uma abordagem esclarecedora
e atualizada sobre o tema.
A fim de ilustrar suas considerações, Esther inclui reflexões sobre momentos depressivos das
personagens bíblicas Davi, Jó, Moisés e Elias, e afirma: “vi que Deus não repreendeu as pessoas, não
as julgou nem as condenou! Ao contrário, foi paciente e cuidou amorosamente para que cada uma
delas pudesse encontrar alívio e forças para retomar o próprio caminho”.
Depressão: tem luz no fim do túnel traz a mensagem reconfortante de que a depressão é
desesperadora, mas na maioria das vezes não é doença; que há também tesouros infindáveis nos
processos depressivos.
Aborda também causas, sintomas e possíveis conseqüências como o suicídio.
Esta leitura cativante mostra uma compreensão saudável da depressão, além de prender a atenção dos
leitores, sejam leitores comuns, sejam pastores, conselheiros, psicólogos, pais ou educadores.

Título: Depressão Tem Luz no Fim do Túnel
Autora: Esther Carrenho
Editora: Vida
ISBN: 978-85-7367-111-7
Ano: 2007
Paginas: 222
Acabamento: Brochura
Formato: 14 x 20 cm