LIÇÃO SOBRE INCLUSÃO

Em setembro de 2017 fiz uma viagem com um grupo, para Israel.

Como muitos sabem, Israel tem uma topografia irregular, dado ao numero de montanhas em todo seu território. Mesmo no Jardim das Oliveiras o sobe e desce exige muito de folego e pernas. Não é para “fracos”, não!!!

Comecei a oitava década da minha vida sofrendo com a artrose que teima em danificar todas as articulações dos membros inferiores. E claro, isto dificulta um pouco meu caminhar mesmo tendo uma musculatura desenvolvida, graças aos exercícios físicos.

Como estávamos em grupo além do guia brasileiro tínhamos uma guia israelense, a Riva Radary, que caminhava a frente do grupo segurando ao alto uma bandeira brasileira. Ela percebeu minha dificuldade quando me viu ficando para trás do grupo. Ela parou, me chamou e perguntou: “Você está bem?” Expliquei minha dificuldade e as consequentes dores depois de algum tempo subindo e descendo escadas e terrenos íngremes. Então ela me falou deixando claro: “Você caminhará sempre do meu lado. Todos nós vamos andar no seu ritmo. Quando tiver dor diminua o passo, eu também diminuirei e todo o grupo nos acompanhará.”

Puxa! Fiquei impactada por um momento. Obedeci e fiquei por algum tempo refletindo sobre esta mudança no seu jeito de conduzir o grupo. Ela incluiu o grupo na minha limitação!!!

Muita gente e até organizações tentam incluir os portadores de alguma limitação no grupo, motivando-os a tentar fazer o que o grupo faz. Claro que não sou contra os estímulos que podem ajudar em muito a diminuir as dificuldades de muitas limitações. Mas ali estava uma líder sensível que me ajudou a fazer parte de forma confortável, incluindo o grupo ao meu ritmo, passo e compasso!

Obrigada Riva, com você aprendi um dos aspectos mais lindos da chamada INCLUSÃO!!!

Anúncios